Páginas

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Ao Khmer Vermelho

 Pol Pot conduzindo combatentes do Khmer Vermelho em 1979.



Quando se fala em Khmer Vermelho, a mídia burguesa logo trata de associá-los à algo nefasto e demoníaco , mas, o diabo não é tão feio como pintam, já dizia Stalin, logo, o Khmer Vermelho malvado e genocida é pura invenção dos reaças.
Tanto as leis da constituição de 1975 da Kampuchea Democrática (atual Camboja), como os documentos do P.C.K.¹ desmonstram e ressaltam o respeito e a dignidade ao ser humano.
O tal "genocídio" é mais uma das ladainhas oriundas da mente podre dos reacionários, assim como aquela história do "holodomor" e do "massacre de Katyn" por parte dos comunistas.
Como foi postado anteriormente um breve resumo de como era e como viviam os cambojanos durante o glorioso período de 1975 a 1979, gostaria de falar de algo que vi ha alguns meses atrás.
Ta Mok nos anos 70
Em um desses sites de informações da mídia burguesa vi uma matéria dizendo que, apesar dos esforços feitos pelo governo cambojano, eles ainda não conseguiam acabar com o prestígio que muitos camaradas do khmer vermelho ainda possuem. O texto citava um caso em Anlong Veng, região noroeste do Camboja, um homem chamado Sreng Kor Ma, de 42 disse: "todo mundo aqui adora Ta Mok². Ele era um bom líder e se preocupava com seu povo."
Essa declaração soa como um tapa na cara de todos aqueles que vomitam idiotices contra os comunistas. Outra coisa que me motivou a escrever este artigo, é quem em julho o camarada e ex-presidente Khieu Samphan, completou no dia 27 de julho 80 anos, e atualmente o camarada Khieu se encontra preso depois de ter sido condenado em julgamento fantoche organizado pela ONU sob o a batuta dos imperialistas norte-americanos e da família real cambojana. Eis uma maneira tosca de intimidar e desmoralizar os  comunistas, os imperialistas pensam ser "os reis da cocada" quando na verdade o seu fim está próximo, e só a revolução proletária sob o comando do Partido Comunista poderão trazer esperança e dignidade aos povos do mundo.
A situação atual no Camboja não é boa, o governo é extremamente corrupto e repressivo, miséria, prostituição, drogas, pedofilia, tudo isso já basta para indignar a população, que só poderá se libertar novamente com reconstrução do Partido Comunista da Kampuchea e a retomada da guerra popular.

VIVA A HERÓICA LUTA DO KHMER VERMELHO!

NOTAS:

1- PCK: abreviação de Partido Comunista da Kampuchea;

2- Ta Mok (1926-2006), era um antigo dirigente militar do Khmer Vermelho, era conhecido entre os camaradas como "Irmão nº 5".

Um comentário: